Karla

karla nomade

Nomade

Lagos da Alemanha: “Schleusen”? Que coisa é essa?

Os Lagos da Alemanha são muito queridos pelos alemães que os lotam no verão. E eles estão espalhados por todo país.

Existe, porém, uma região muito especial com centenas de lagos que se juntam aos extensos rios e canais para formar a maior rede de água da Alemanha. É a bela região dos lagos de Mecklenburgische Seenplatte.

E é exatamente neste belo cenário que se passou minha história que agora vou contar.

Em 2014, meu marido, um alemão que ama água, me propôs passar uma semana em um tipo de Hausboot nesta região de lagos.

Antes de dizer sim, considerei os prós e os contras  e só então cheguei à conclusão de que poderia ser uma experiência agradável passar uns dias em águas calmas, sem grandes surpresas, sem ameaças, sem estresse.

Naquela época, eu nunca tinha experimentado dormir em barcos, então a princípio me pareceu excitante, mas logo depois um pouco assustador. Passar tanto tempo em um barco, comer, beber, dormir, fazer as necessidades naturais, enfim, tudo em um barco, sem pisar em solo sólido, poderia ser estranho.

A chegada na região de lagos

Em um sábado ensolarado saímos de Berlim de carro, abastecidos com comida para uma semana.

Ao chegarmos na Marina de Fürstenberg, antes de nos mudarmos para o barco, precisamos fazer duas horas de treinamento a respeito do funcionamento do barco, norma dos lagos, alguns outros detalhes e enfaticamente as inúmeras Eclusas que teríamos que passar. o nome em Alemão é mais assustador: “Schleusen”. Até aquele momento eu não fazia ideia do que era uma! Perguntei assustada:  “Schleusen”? What a hell is that?

Uma rápida olhada no meu dicionário português-alemão e descobri que era um ‘eclusa’, uma espécie de elevador para barcos entre os lagos, cujas diferenças de altura tinham que ser superadas. Me perguntaram se no Brasil não era comum, e eu disse que não. O instrutor então seguia fazendo piadas com as Eclusas e disse que um casal que foi de lua de mel para o mesmo passeio que estávamos fazendo, teve o casamento desfeito depois das Eclusas.

Eu me perguntava como elas poderiam afetar nossa viagem de barco, ao ponto de desfazer um casamento.  Percebi que só poderia descobrir o que essa coisa significava na prática. E assim foi.

As eclusas dos Lagos alemães

Para manter o barco parado na eclusa, alguém com um gancho, deve primeiro parar o barco pela parte da frente em alguma argola ou vara fixa dentro da eclusa. Depois é preciso lançar uma corda através da argola e segurar o barco com a corda.

Conquanto só havia duas pessoas no barco, e a outra pessoa o estava guiando, de certo que todo esse processo seria o meu trabalho.

“O que você quer dizer? Eu preciso alcançar aquele gancho, depois pegar a corda, segurar o barco e mantê-lo parado? Isso é sério? Perguntei. Eu não posso fazer isso”

Mas eu tinha que fazer. Caso contrário não sairíamos do lugar. Ou seja, eu não iria conhecer a região por água.

OK. Minha primeira Eclusa funcionou muito bem.

Era relativamente pequena e havia apenas alguns barcos que precisavam ficar parados.

“Sorte de principiante”, eu pensei em silêncio, mas sem muita ilusão.

E logo no primeiro dia, após 15 minutos de navegação, chegou a minha primeira eclusa.

Observe na foto ao lado a forma em que os barcos devem se manter em filas. É preciso laçar o tronco e depois fazer um nó seguro.

As filas de barcos

No dia seguinte, uma surpresa. Uma longa fila de barcos em frente à eclusa pela qual tivemos que passar. Nos meses de verão, isso pode significar quatro horas de espera – e assim surgiu um novo desafio.

Os barcos têm que ser segurados um atrás do outro à medida que avançam. Para fazer isso, você aponta para uma das muitas estacas que são empurradas na borda da Eclusa com a corda na mão e depois faz um laço ao redor dela. E mais uma vez você tem que segurar o barco com cuidado extremo para não bater no barco na sua frente e também não dirigir sobre uma das milhares de canoas que estão ao seu redor na água.

Tenho que admitir que durante as primeiras estacas eu só tinha um pensamento: essa com certeza não era a ideia de relaxar que eu tinha!

Filas de barcos nos canais dos lagos para atravessar as eclusas

No meio dos Lagos da Alemanha pensei como seria isso no Brasil

Depois de alguns dias, eu estava mais acostumada com as filas e comecei até a achá-las divertidas. De certo elas são realmente longas durante as férias nos lagos da Alemanha. Inegavelmente os alemães adoram os lagos.

Também fiquei impressionada com o respeito entre as pessoas e principalmente como eram calmas as filas. As pessoas lêem, limpam o barco, comem, deitam-se ao sol, dormem, fazem todo tipo de coisas, mas nunca incomodam os outros.

Inevitavelmente eu me perguntava como seriam essas filas se estivessem no Brasil. Era difícil para mim imaginar todos os brasileiros lendo tranquilamente em seus barcos. Na minha mente, eu só conseguia imaginar nos barcos tocando diferentes estilos de música alta. E, sem dúvida, algumas pessoas dançando. Não nego que a visão era engraçada diante do silêncio dos barcos alemães.

Eu e nosso barco pelos lagos da Alemanha

Uma grande Eclusa cruzou o meu caminho

Apesar do estresse e ansiedade que sentia cada vez que avistava uma eclusa, tive apenas uma única experiência negativa. E, foi naturalmente em uma grande eclusa. Eles são realmente difíceis de controlar o barco, especialmente no verão, quando estão cheias. Por isso, depois de algum tempo na fila, estaca após estaca, quando finalmente entrei na Eclusa, não consegui segurar o barco e ele seguia desgovernado em direção aos outros barcos. O pânico começou. Ouvi pessoas me dando instruções e gritando para que eu segurasse o barco como se eu não e estivesse fazendo. Eu  segurava o barco com todas as minhas forças, mas não era o suficiente. Fiquei irritada e confusa pela maneira como eles insistiam que eu segurasse o barco. “As pessoas não vêem o quanto eu estou tentando? O barco simplesmente não quer ir. – Eu gritei – A culpa não é minha!”

Depois de alguns minutos, conseguimos ajuda. Um homem pulou no nosso barco e tentou evitar um desastre. Outro homem pulou na borda da eclusa e segurou o barco com uma corda. Sem dúvida uma confusão enorme, que acontecia enquanto eu amaldiçoava minha última descoberta: Schleuse!

Pessoas gostam de assistir o sufoco nas eclusas

Muita gente assiste o movimento dos lagos, principalmente nas eclusas

Quando a situação estava sob controle, eu me virei de costas extremamente irritada para todos na Eclusa e me recusa a participar da conversa e ouvir os comentários sobre o que aconteceu. Tudo o que eu queria era sair daquela maldita eclusa.

Estavam todos tão engajados com nosso barco, que até nos convidaram para uma cerveja à noite. Claro que recusamos.  Naquele momento era o último assunto na minha pauta.

Confesso que demorou umas horas para superar o episódio, mas então percebi que a maioria das pessoas que navegam pelos lagos não tinha idéia de pinos, cordas, ganchos de barco, etc.

Na maioria dos barcos, as mulheres fazem esse trabalho, enquanto são instruídas por seus homens. É mais ou menos sempre a mesma coisa. Você vê um barco se aproximando e na frente está uma mulher desesperada com uma corda na mão. Pouco depois, ouvimos o comando do homens na direção do barco Então joga um laço curto ao redor da próxima estaca ou gancho para parar o barco enquanto o público desfruta dessas cenas loucas. Das pontes você tem a melhor visão e a diversão é garantida.

A cultura do faça você mesmo também nos lagos da Alemanha

Me lembrei da história do casal em lua-de-mel que após as eclusas o casamento já havia terminado.

Sim, elas têm esse poder! Em comparação com os lagos na Alemanha, as eclusas muitas vezes roubam o espetáculo. Eles são uma característica muito especial desta área, pois são numerosas, infinitas. Inacreditável.

A maioria das maiores eclusas  têm trabalhadores para ajudar. Quando eu reclamei que eles são geralmente pouco amigáveis e completamente impacientes, não imaginei que as coisas poderiam ficar ainda piores.

Afinal, estamos na Alemanha e aqui as coisas funcionam com self-service. Eu poderia ter imaginado que também existem eclusas self-service. Ou seja, sem ninguém para ajudar. Nelas fica muito complicado, pois além de jogar o laço na estaca ou argola e segurar o barco, é também preciso operar a eclusa,. Acredite ou não, abri-la e fechá-la novamente. As pessoas estão totalmente estressadas, confusas e a fila fica ainda mais longa.



Claro que vencer as Eclusas dá uma sensação muito boa. Isso ao mesmo tempo que olhamos ao redor e ficamos maravilhados com a natureza. Então era hora de aproveitar de verdade os lados, nadar, celebrar, pular, cantar, curtir o momento, beber um bom vinho ancorados sem ninguém ao redor. Mágico. Podemos esquecer o mundo.

Mas enfim, depois de termos passado por várias eclusas todos os dias, eu já poderia responder minha primeira pergunta quando ouvi falar delas: “Schleusen”? What a hell is that?”

Elas são acima de tudo algo em que nos acostumamos. Não sei dizer se gosto ou não delas, mas elas são definitivamente algo especial. Fizeram parte das minhas férias nesta bela região de lagos da Alemanha. De qualquer forma não se pode mudá-los, a menos que se visite os lagos pela terra. Isto também é muito especial, pois podemos apreciar a beleza desta área do lado de fora da água. Mas é incomparável conhecer os lagos das duas perspectivas.

E quanto as eclusas , sou grata de te-las experimentado. Gostando ou não, pois apesar de todo o estresse, valeu muito a pena!




Voce poderá gostar também das postagens


Típico alemão: Biergarten!


O que é a cerveja Berliner Weisse?

Share:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

3 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 9 =

Recent posts

COMO VIAJAR DE FORMA SUSTENTÁVEL

Hi there! Join the nomadic soul tribe!

Subscribe to my newsletter and get exclusive sustainable travel tips!