Karla

karla nomade

Nomade

marrakesh

Marrakesh – Conheça suas cores sedutoras

O nome Marrakech deriva de “mur akush”, uma expressão cujo significado em berbere é algo como “terra divina”. Assim sendo, ela se torna um dos destinos turísticos mais procurados em Marrocos – África. Afinal, como não se deixar seduzir por suas cores? Visitar uma cidade tão vibrante e colorida faz bem para o humor. Pelo menos para quem está aberto a receber não só as cores, mas também os sabores, os cheiros os sons de Marrakesh. Todos muito acentuados. 

As estonteantes cores dos Souks

souks marrakesh
Motos disputam espaço com pedestres

Os souks de Marrakech são os maiores do Marrocos e famosos mundialmente como alguns dos mercados mais exóticos para fazer compras no mundo. Para visitantes de primeira viagem, pode ser uma experiência desconcertante, pois eles são um labirinto de cores, cheiros, sabores e vendedores chamando a atenção. Mas acima de tudo, o que realmente nos enlouquece depois de um tempo explorando os souks, são as motocicletas que transitam sem parar e livremente entre os corredores estreitos. 

No entanto, como turistas sustentáveis que somos, respeitamos a cultura local e não vamos fixar no lado negativo. Além disso, não vamos jamais deixar que detalhes perturbem nosso humor em um momento “sagrado” que é uma viagem. Então o melhor é entrar no labirinto de becos e passagens que compõem os bazares de Marrakech. Eles vão levar você a um mundo repleto de tapetes multicoloridos, pashmina,  especiarias, antiguidades, lanternas, cerâmica,  jóias e muitas bugingangas. Sendo assim,  melhor maneira de abordar a sobrecarga sensorial dos souks de Marrakech é respirar fundo e mergulhar.

Loja de pashmina

As magníficas cores do Jardim Majorelle

Yves Saint Laurent e Pierre Bergé adquiriram o Jardin Majorelle para salvá-lo da destruição nas mãos dos desenvolvedores de hotéis. Eles então decidiram morar na vila de Jacques Majorelle, que eles renomearam como Villa Oasis.

Hoje, o Jardim Majorelle, com mais de 9.000 m², é um dos jardins mais encantadores e visitados de Marrocos. Criado ao longo de quarenta anos, é cercado por cores ousadas que mesclam influências arquitetônicas Art déco e Moorish

O pintor francês Jacques Majorelle concebeu esse exuberante jardim como um santuário e uma espécie de laboratório botânico, com espécimes exóticas dos cantos mais distantes do mundo.

É realmente um lugar belíssimo, portanto não se deixe intimidar pelas filas imensas para entrar neste jardim. Apenas relaxe e divirta-se com turistas de diversas partes do mundo. Pois a maioria das pessoas que fazem turismo em Marrocos vêm a Marrakesh visitá-lo. 

As cheirosas cores do mercado de ervas

O Rahba Lakdima – também conhecido como Praça das ervas, ou mercados de ervas, é certamente o epicentro da medina em Marrakesh.

Cheio de energia indescritível e cores de alta tensão, no mercado encontramos desde misteriosos herbalistas a comerciantes de especiarias que vendem de tudo, desde peles de cobra a pétalas de rosa a Ras el hanout (a famosa mistura de especiarias marroquina).

O movimento maior é por volta das 16h, quando os vendedores descerem das aldeias das montanhas.

No meio das ervas ainda encontramos vendedores de tapetes, cestos trançados e chapéus. É um verdadeiro espetáculo que pode ser assistido de forma descontraída de um dos cafés ao redor.

As deliciosas cores dos sabores

marrakesh

As paisagens coloridas e os aromas de especiarias secas nos souks e a infinidade de frutas e legumes frescos nas ruas deixam claro que esta cidade tem muitas surpresas culinárias esperando para serem descobertas.

As cores secretas de Jemaa el-Fna

A Jemaa el-Fna é a praça central de Marrakesh e encanta os visitantes e locais  há um milênio.

São músicos, vendedores, mágicos, encantadores de serpentes, animais, jogos, enfim, uma festa. Mas tudo tem um preço. Se você quiser fazer um filme ou uma foto, imediatamente vem alguém do grupo lhe cobrar. Os músicos no momento que você os observa, alguém aparece do seu lado e lhe pede dinheiro. Os mais agressivos foram os encantadores de cobra. Eles vieram em bando pra cima da gente e xingaram bastante porque eu disse que não ia pagar, pois não tinha uma imagem descente. Eu até planejava fazer um vídeo, pelo qual eu pagaria sem problemas se eles fossem mais simpáticos. Com aquela atitude autoritária eu não pago. 

Os cuidados que devemos ter​

A única vez em Marrakesh e me senti ameaçada, foi quando uma destas mulheres que oferecem tatuagem de hena tentou roubar minha aliança. 

Eu estava na praça central a noite quando ela se aproximou e ofereceu o serviço. Eu disse que não e ela insistiu. Eu insisti de volta e ela agarrou minha mão e tentou puxar o anel do meu dedo. Num reflexo rápido eu dei uma cotovelada nela e ela desapareceu. 

Essas mulheres tapam o rosto com um véu para não serem reconhecidas. Ou seja, são bandidas mesmo. Então basta ameaça-las dizendo que vai chamar a polícia que elas somem. Não precisa dar cotoveladas. 

Na mesma noite um domador de pombos tentou colocar um pombo na minha cabeça para ganhar algum dinheiro. Meu marido que tem 1,90 disse, “eu não sei porque essas coisas só acontecem com você”. Eu com meu 1,67 só olhei pro alto da cabeça dele e perguntei, “por que será que eles não tentam colocar um pombo na sua cabeça?”

As cores brilhantes do Jardim Secreto

jardim secreto

Muita gente descobre este jardim por acaso, pois ele não consta em muitos guias. Apesar disso, ele é muito visitado, pois fica dentro da Medina e é extremamente agradável. Um verdadeiro oásis para um pouco de relaxamento dos souks lotados. O jardim fica dentro de uma das mais antigas Riad de Marrakesh e mantém a sua estrutura intacta.  

As escondidas cores dos Hotéis Riads

Se você quiser ter uma experiência completa em Marrakesh, aconselho a se hospedar em um Riad. Eles são casas ou palácios com um jardim ou pátio no interior. Juntamente com a linda arquitetura, a atmosfera destes lugares é mágica. Alem do mais os Riads são geralmente pequenos, gerenciados por uma família e trazem imediatamente a paz que precisamos para relaxar depois de um dia cheio. 

Atenção! Alguns Riads ficam realmente no meio de labirintos na Medina. O nosso precisavamos percorrer 3minutos entre becos que podem ser meio desagradáveis. Então melhor perguntar a distância e se a área é segura antes de fazer a reserva.

Outra coisa que aconteceu foi, o pessoal do Riad nos informou que havia serviço de taxi para nos receber no aeroporto. Quando chegamos o motorista realmente nos esperava. O que não nos foi informado era que precisaríamos pagar por esse serviço, que custou $25,00. Portanto, pergunte tudo para evitar surpresas desagradáveis. 

As vibrantes cores vistas dos terraços

Uma das coisas mais típicas em Marrakesh são os terraços. Afinal, eles estão nos Riads, lojas, casas, cafés e restaurantes. Os terraços de Marrakesh são realmente um espaço sensacional para relaxar no final da tarde, comer algo regional e apreciar a vista. 

Com que roupa eu vou?

Exposição do corpo demasiadamente desnecessária para um país árabe
Conforto e o corpo mais coberto nos dão mais segurança e liberdade

É bem comum que nós ocidentais quando visitamos um país árabe, tenhamos dúvidas a respeito do que vestir. Afinal, quando pensamos em árabes, pensamos em mulheres de Burca e os homens de Thoba

Marrakesh é relativamente uma cidade aberta, pois sendo um dos destinos turísticos mais visitados do mundo, recebe pessoas de diferentes culturas. 

Você pode vestir-se de forma normal, confortável, com bom senso. Eu acredito que ninguém precise de expor o corpo quando visita um país que as pessoas não o fazem. É uma questão de respeito. Neste caso, uma camiseta com mangas curtas, calças compridas são ainda a melhor opção para homens e mulheres. As mulheres também podem optar por um vestido ou saia confortável. 

Prá lá de Marrakesh

O cantor e compositor brasileiro Caetano Veloso popularizou a expressão  “Prá lá de Marrakesh” na música “Qualquer Coisa”. Isso foi nos anos 70 e o significado então era insanidade, piração, estar maluco, fora dos eixos. 

Eu confesso que depois de conhecer a cidade, a expressão faz sentido para mim. Marrakesh leva nossos sentidos ao limite, e ultrapassa-los certamente é um tipo de piração. Mas piração do bem. Da próxima vez que eu vier a Marrocos, quero ir prá lá de Marrakesh. Literalmente. Ir ao deserto de Saara e provavelmente pirar com o lugar. 

Artigos relacionados

Share:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =

Recent posts

COMO VIAJAR DE FORMA SUSTENTÁVEL

Hi there! Join the nomadic soul tribe!

Subscribe to my newsletter and get exclusive sustainable travel tips!